Home » Backpackers » Viajando barato: como se hospedar de graça em lugares incríveis

Viajando barato: como se hospedar de graça em lugares incríveis

Viajar o mundo, acredito que seja uma vontade de muita gente. Mas a maioria dos sonhadores para de planejar no momento em que põe no papel os custos dessa aventura. Não somos viajantes profissionais (ainda), e como grande parte da população, não dispomos de grandes quantias de dinheiro para nos dar ao luxo de hotéis 5 estrelas.

Se pesquisar bem e planejar o roteiro, aproveitando promoções e milhas de companhias aéreas é possível pagar pouco por passagens. O fato é que, o que encarece as viagens são hospedagem e alimentação.

Pensando nisso, começamos a buscar lugares onde poderíamos ganhar estadia em troca de trabalho. E pode acreditar, tem muita gente por aí precisando de uma mão, seja no seu negócio ou em casa mesmo.

Worldpackers – trabalhe em hostels ao redor do mundo

O primeiro site que conheci que apresenta esse tipo de oportunidade foi apresentado por um amigo que passou mais de um ano viajando, boa parte desse período na Colômbia. O Worldpackers é uma plataforma onde hostels de todo o mundo postam oportunidades de trabalho voluntário. Em troca os proprietários ou gerentes oferecem estadia e alguns incluem alimentação e passeios que do contrário, se você fosse um hóspede, teria que desembolsar. Inclusive foi no Worldpackers que encontramos o Gleanings, ONG que fizemos trabalho voluntário por duas semanas (leia aqui o post sobre esta incrível experiência).

O site lembra uma rede social. Nele você preenche um perfil fazendo upload de foto, descrevendo como você é e falando um pouco de suas habilidades. Baseado nisso você pode se encaixar em vagas desde housekeeping (serviços de organização e limpeza do lugar), passando por recepção, cozinha, webdeveloper, enfim, a lista de possibilidades é imensa. Umas das coisas mais legais é que os amigos podem entrar e dar uma espécie de “aval”, atestando que você é bom em determinada área. Isso dá mais credibilidade e confiança para os hosts na hora de aceitarem ou não a pessoa como voluntário.

Além disso, a aparência do site é muito bonita e a navegação fácil. Você escolhe o destino e filtra por hosts disponíveis. O sistema vai mostrar quais as vagas abertas, as habilidades esperadas do voluntário e qual o tempo mínimo e máximo de permanência que o hostel permite. Depois disso é só iniciar um chat com o host e descobrir se dá “match”. hahaha.

A vantagem/desvantagem disso é que o site cobra para cada hostel que te aceita tornando um pouco caro se a ideia é ficar em vários lugares diferentes. Apenas para deixar claro: o site cobra um valor pelo serviço de conectar você ao host. Não é diária, é por trip confirmada.

Workaway.info

Outro site com o mesmo intuito é o Workaway. A diferença é ele não se restringe à apenas hostels. Existem oportunidades de todos os tipos, desde ajudar com tarefas diárias em casa, cuidar de crianças, até ajudar em fazendas ou reparando barcos (WTF!?). Sem dúvidas a lista de oportunidades disponíveis é BEM maior.

Vantagens e desvantagens do Workaway: é cobrado apenas um valor de membership por ano, possibilitando ao voluntário conversar e arranjar quantos lugares necessários durante um ano com diferentes hosts. Infelizmente a navegação não é tão prática como no Worldpackers e notamos que mesmo contatando vários hosts, poucos retornaram.

No Workaway conheci o Noy, um americano que tem um negócio de AirBnB em casa. Passei cerca de 40 dias na casa dele, ajudando em tarefas diárias da casa. Dando uma ajuda no jardim ou na limpeza e organização do lugar (neste post falo da primeira experiência com o Workaway).

Couchsurfing – hospede-se de graça na casa de outros viajantes

Outra maneira interessante de conhecer pessoas e não pagar por hospedagem é o Couchsurfing. Aqui o sistema é mais simples, são pessoas comuns compartilhando suas casas com outros. O site foi criado em 2004 quando um grupo de viajantes e intercambistas procuravam uma maneira de conectar pessoas com a mesma vontade de viajar e criar ricas experiências.

A diferença aqui é que não é exigido trabalho algum em troca da hospedagem, mas é difícil encontrar alguém que aceite um estranho em sua casa por mais do que dois dias. Recomendaria este como um “quebra-galho”, quando estiver de passagem por algum lugar e quer economizar com hotel.

Para ser sincero, este foi o único site em que, apesar de ter um perfil verificado (é necessário pagar para ter perfil verificado), o que passa maior credibilidade, nunca consegui utilizar. Ou os hosts não podiam receber naquele período, cancelavam em cima da hora ou simplesmente não retornavam o contato. Mas conheço pessoas que utilizaram o site com frequência e sem problemas. Estou apenas deixando um relato de minha experiência pessoal.

Enfim, a ideia aqui é mostrar que existem sim várias possibilidades de se hospedar de maneira barata ou mesmo de graça. Desde que você esteja disposto a colocar a mão na massa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *